Archive for Abril, 2009

Será que também cura a gripe suína?

30 / 4 / 2009

ronildo20pecanha1

Pelo sim pelo não, era trazê-lo cá, quiçá ao programa do Goucha!

(ou então à tertúlia cor-de-rosa, sempre podia ser que o Cláudio Ramos se fizesse mulher de vez…)

Acendam as luzes, porra!

21 / 4 / 2009

Ora bem,

Para os ocasionais leitores que nunca tenham frequentado aulas sobre o código da estrada, este post pode parecer que traz alguma informação “do outro mundo”, mas para os outros, os encartados, o que vou dizer deveria ser trivial. Mas para alguns infelizmente não é.

Caso esteja a anoitecer, sugiro que se desloquem até à beira da estrada mais próxima, e contem o número de veículos que circulam apenas com as luzes de presença acesas (vulgo “mínimos”). Qual é a percentagem? 10% ? 25%? Como até são bastantes, se calhar as pessoas fazem bem em circular apenas de “mínimos”, não é? Afinal de contas ainda não é assim tão escuro que justifique acender os médios (ou luzes de cruzamento). O mesmo se aplica aos dias de chuva intensa ou de nevoeiro. Pois não existe nada de mais errado!! E passo a transcrever o artigo correspondente do código da estrada. Mas para os que não queiram ter o trabalho de ler (ou reler) esta meia dúzia de pontos, fica desde já a informação: os mínimos apenas servem para estar parado!! Em andamento usam-se SEMPRE os médios ou máximos. SEMPRE! Agora seja simpático e passe esta informação a alguém conhecido 😉

Artigo 61.º – Utilização de luzes

1 — Sempre que, nos termos do artigo 59.º, seja obrigatória a utilização de dispositivos de sinalização luminosa e de iluminação, os condutores devem utilizar as seguintes luzes:
a) De presença, durante o estacionamento fora das localidades ou enquanto aguardam a abertura de passagem de nível;
b) De cruzamento, em locais cuja iluminação permita ao condutor uma visibilidade não inferior a 10 m, no cruzamento com outros veículos, pessoas ou animais, quando o veículo transite a menos de 100 m daquele que o precede, na aproximação de passagem de nível fechada ou durante a paragem ou detenção da marcha do veículo;
c) De estrada, nos restantes casos;
d) De nevoeiro à retaguarda, sempre que as condições meteorológicas ou ambientais o imponham, nos veículos que com elas devam estar equipados.
2 — É proibido o uso das luzes de nevoeiro sempre que as condições meteorológicas ou ambientais o não justifiquem.
3 — Sem prejuízo do disposto no n.º 1, os condutores de veículos afectos ao transporte de mercadorias perigosas devem transitar com a luz de cruzamento acesa.
4 — Quem infringir o disposto nos números anteriores é sancionado com coima de € 30 a € 150, salvo o disposto no número seguinte.
5 — Quem utilizar os máximos no cruzamento com outros veículos, pessoas ou animais ou quando o veículo transite a menos de 100 m daquele que o precede ou ainda durante a paragem ou detenção da marcha do veículo é sancionado com coima de € 60 a € 300.

Por estas e por outras é que daqui a uns anitos vamos ser “obrigados” a andar sempre em médios, mesmo durante o dia, tal como acontece já em alguns países nórdicos…

Hoje cheira a… (IV)

21 / 4 / 2009

Gambas fritas! Mnham!

Um destes dias pergunto se me deixam comer com eles, raio dos vizinhos!

Hoje cheira a… (III)

16 / 4 / 2009

Bem, não é bem hoje, foi mais ontem, mas cheirava efectivamente a Pipocas!

Ou então alguém deixou outra vez queimar a comida!

Um cartaz infeliz

13 / 4 / 2009

Vi há dias este cartaz pendurado por algumas das nossas localidades e não pude deixar de pensar: O raio da senhora está a fazer uma cara de “ai, já borrei as cuecas, será que aqueles senhores ali me vão ralhar por isso ?”

Este PSD realmente não atina… Nem os consultores de imagem conseguem ver isto?

Ah, e aquele colar a imitar a Maria de Lurdes Rodrigues também não ajuda nada…

Hoje cheira a… (II)

9 / 4 / 2009

… que alguém deixou queimar o almoço! (ainda mais com o som de pessoas a discutir vindo do apartamento…)

Nas escadas cheira a…

8 / 4 / 2009

Depois de algum tempo afastado aqui do sítio, volto com uma ideia para colocar em práctica: o “Nas escadas cheira a…”

E passo a explicar porquê:

Eu, apesar de ser dono de um sentido olfactivo nada fiável, mudei-me há um par de meses para um “novo” apartamento. Acontece que os meus vizinhos (ainda não percebi se os da frente se os do andar de baixo) deve ser exímios cozinheiros. Juntando a isto o facto de eu normalmente frequentar as escadas do prédio nas horas habituais das refeições (pequeno almoço, almoço e jantar), constatei que quase todos os dias existem cheiros diferentes, ainda que o aroma apenas muito raramente me agrade.

Posso já dizer que do que me lembro, o pior cheiro com que já fui brindado foi o de “peixe frito”, mas também já me cheirou a guisados diversos, e a sopa acabada de fazer. Mas o cheiro que mais vontade me deu de lhes bater à porta e perguntar se podia compartilhar da refeição foi mesmo o cheiro a… Torradas! Eu estava a saír de casa de manhã e tinha acabado de tomar o pequeno almoço, mas aquele cheirinho de torradas acabadas de fazer e com manteiga em cima… bate tudo!

À medida que for detectando os cheiros, hei de os ir apontando e vir aqui relatá-los, para memória futura.

Actualizações diversas devem seguir dentro de momentos…